Sexta, 22 Março 2019 | Login
Brasil vence e convence no último amistoso antes da Copa

Brasil vence e convence no último amistoso antes da Copa Featured

 
Com gols de Gabriel Jesus, Neymar e Philippe Coutinho, Brasil vence a Áustria por 3 a 0, em Viena
 
 
Em seu último amistoso antes de estrear na Copa do Mundo da Rússia, o Brasil venceu neste domingo, 10/06, a Áustria por 3 a 0, em Viena, com gols de Gabriel Jesus, Neymar e Philippe Coutinho. E além de vencer, a Seleção de Tite convenceu e mostrou que está preparada para disputar o Mundial. O jogo foi realizado no Estádio Ernst Happel.
 
Brasil e Áustria Neymar 
 
Ainda hoje mesmo, o Brasil viaja para Sochi, base da Seleção durante a Copa do Mundo da Rússia. No próximo domingo, 17/06, às 15 horas (de Brasília), a Seleção estreia na Copa diante da Suiça, em Rostov. .
O Jogo
O jogo não foi fácil, principalmente, nos primeiros minutos. Porém, com paciência, o Brasil manteve maior posse de bola e foi aos poucos procurando as alternativas para tentar furar a defesa austríaca, que foi um excelente teste para o time brasileiro. Os austríacos chegaram, inclusive, a preocupar a comissão técnica com entradas violentas, principalmente, no atacante Neymar.
Mas, a resistência austríaca não durou muito tempo. Aos 34 minutos do primeiro tempo, o Brasil abriu o placar. Após cobrança de escanteio pela direita, Marcelo pegou a sobra de fora da área e chutou. forte. A bola desviou na defesa e sobrou para Gabriel Jesus na esquerda. E em posição duvidosa, ele finalizou com categoria tirando a bola do goleiro Lindner.
Na segunda etapa, aos 17 minutos, Neymar deixou a sua marca. Willian recebeu pela direita e, com categoria, lançou para Neymar na esquerda. O camisa 10 do Brasil dominou com tranquilidade, deu um drible desconcertante em Dragovic, que ficou no chão, e fuzilou para o gol.
Em desvantagem e já batida em campo, a Áustria já não conseguia mais parar os brasileiros. E, aos 23 minutos, o Brasill fez o seu terceiro gol. Em jogada pela esquerda, Roberto Firmino, que substituiu Gabriel Jesus, tabelou com Philippe Coutinho. A bola sobrou livre para o meia que chutou forte para fazer 3 a 0.
 
Nos minutos finais, Tite aproveitou para realizar alterações e dar ritmo de jogo a alguns reservas, entre eles Douglas Costa, que substituiu Neymar. A Seleção Brasileira ainda teve chances para marcar o quarto gol, por exemplo, com Firmino em duas oportunidades.
O time que iniciou o amisoso contra a Áustria deverá ser o mesmo da estreia contra a Suiça: Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Philippe Coutinho e Willian; Neymar e Gabriel Jesus.
000

About Author

Related items

  • MUNDO: Trump diz que apoia entrada do Brasil na OCDE e fala em estreitar laços entre os dois países
    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira, 19/03 que apoia a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Durante encontro com o presidente Jair Bolsonaro, na Casa Branca, Trump disse que os dois países nunca estiveram tão próximos. "Eu estou apoiando os esforços deles [brasileiros] para entrar [na OCDE]", afirmou o presidente norte-americano sem entrar em detalhes.
    Segundo ele, os Estados Unidos têm interesse em estreitar laços comerciais com o Brasil. "Estamos trabalhando para isso. Um dos aspectos é o comércio. O Brasil fabrica ótimos produtos e nós produzimos ótimos produtos. No passado, nosso comércio nunca foi tão bom quanto deveria ser. Em alguns casos, deveria ser muito mais. Então achamos que nosso comércio com o Brasil aumentará substancialmente em ambos os sentidos e estamos ansiosos para isso", declarou.
    Bolsonaro também disse que o Brasil mudou “depois de algumas décadas de presidentes antiamericanos” e que “tem muita coisa em comum” com Trump. “Ele quer uma América grande e eu também quero um Brasil grande. Estou engajado com o nosso Estados Unidos. Isso é motivo de orgulho e satisfação para os nossos povos.”
    Os dois presidentes tiveram encontro a portas fechadas. Antes, porém, os dois trocaram camisas oficiais das seleções de seus países. Trump deu a camisa 19 dos Estados Unidos para Bolsonaro, que retribuiu com a número 10 do Brasil.
    O presidente brasileiro levou o filho Eduardo Bolsonaro, deputado que preside atualmente a Comissão de Relações Exteriores, para o encontro com Trump. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, porém, não foi chamado a comparecer à reunião no Salão Oval.
    Antes do encontro na Casa Branca, o presidente brasileiro esteve com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro.
    De acordo com a agência Reuters, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que os Estados Unidos impõem uma condição para apoiar o ingresso do Brasil na OCDE: que o país deixe a lista de países em desenvolvimento que recebem tratamento especial da Organização Mundial do Comércio (OMC). O governo norte-americano quer acabar com essa lista.
    Bolsonaro está em sua primeira viagem oficial aos Estados Unidos desde domingo e deve voltar ao Brasil nesta quarta-feira (20). O encontro com Trump era o principal compromisso do presidente brasileiro em Washington. Ele visitará ainda hoje o cemitério nacional de Arlington, onde estão enterrados cerca de 400 mil soldados mortos em guerra. (Congresso em Foco)
  • MUNDO: Encontro com Bolsonaro marca relacionamento positivo, diz Guaidó
     
    O Presidente do Brasil Jair Bolsonaro se reuniu nesta quinta-feira, 28/02, no Palácio do Planalto com Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino da Venzeula. Após cerca de 50 minutos de reunião, Bolsonaro eGuaidó deram uma declaração à imprensa. Guaidó agradeceu em nome do povo venezuelano a reunião com Bolsonaro que, segundo ele, marca um rito importante na história da região. “Marca um relacionamento positivo entre Venezuela, Brasil e a região após a cúpula histórica do Grupo de Lima, em Bogotá”, disse o venezuelano.
    Ele chegou ao Palácio do Planalto às 13h50, acompanhado pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e passou pelo tapete vermelho estendido em uma das portarias laterais do edifício principal. Os Dragões da Independência fizeram as honras na entrada.
    Apesar de o Brasil reconhecer Guaidó como presidente interino da Venezuela, o encontro não é considerado uma visita de Estado, mas acontece no gabinete de Bolsonaro. O também presidente da Assembleia Nacional da Venezuela ainda deve se encontrar com o presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).
    Guaidó chegou ao Brasil na madrugada desta quinta-feira (28). Por meio de sua conta pessoal no Twitter, ele disse que veio ao Brasil em busca de apoio para a transição de governo na Venezuela. Antes do encontro com Bolsonaro, ele esteve com representantes diplomáticos de outros países no escritório da delegação da União Europeia, em Brasília.
    “Em nosso encontro com os embaixadores dos países da União Europeia, continuamos a fortalecer as relações com nações que reconheceram nossos esforços para recuperar a democracia na Venezuela e obter eleições livres”, escreveu. “Apreciamos o forte apoio internacional dado à nossa rota e apoio à ajuda humanitária. É hora de avançar para conseguir a cessação da usurpação que porá fim à crise na Venezuela, recuperará nosso país e estabilizará a região”, completou.
    Guaidó ressaltou que o empobrecimento do povo venezuelano é “resultado da corrupção em seu país, do ataque aos direitos humanos, da desmontagem do Estado de Direito, e do ataque às empresas privadas na Venezuela”.
    “Na Venezuela hoje estamos lutando por eleições livres, democráticas. Não houve eleições livres em 2018”, afimou.
    Mais cedo, também pelo Twitter, o ministro Ernesto Araújo disse que a diplomacia brasileira continua com seu "apoio irreversível e incondicional à libertação" do país vizinho.
    No mês passado, o Tribunal Supremo de Justiça proibiu Guaidó de deixar a Venezuela e congelou suas contas. A Corte atendeu a um pedido do procurador-geral da Venezuela, Tarek William Saab, aliado do presidente Nicolás Maduro. Apesar da decisão judicial, o presidente interino foi à Colômbia para articular a entrega de ajuda humanitária na fronteira e participar do encontro do Grupo de Lima, em Bogotá. Mesmo correndo risco de ser preso, ele prometeu retornar à Venezuela, em breve. (Agência Brasil - Foto: Marcos Corrêa/PR)
  • INACREDITÁVEL! PT, PSB, PCdoB, CUT, MST e MTST declaram apoio a Maduro, contra o povo venezuelano

    Parece inacreditável, mas é verdade. Hoje, quando a maioria dos países declara apoio ao governo interino de Juan Guaidó, na Venezuela, a chamada esquerda do Brasil assina manifesto de apoio ao ditador Nicolás Maduro, que fechou as fronteiras do país e proíbe a entrada de ajuda humanitária para o povo faminto e doente.

     

    “Denunciamos a intervenção imperialista dos Estados Unidos, com o bloqueio econômico e sequestro de bilhões de dólares que estão nos bancos americanos. Repudiamos a ameaça de intervenção militar na Venezuela. Repudiamos as declarações intervencionistas do presidente Jair Bolsonaro e seu chanceler Ernesto Araújo, que rompem com a tradição diplomática brasileira em busca da paz, diálogo e integração regional.”, diz o documento.

    “A sociedade brasileira tem que entender que o problema da Venezuela não foi gerado pelo governo. O problema está na falta de respeito dos norte-americanos à soberania do povo da América Latina”, acrescenta o manifesto.

    E os esquerdistas brasileiros arrematam:

    "Devemos deixar claro que esta posição do governo Bolsonaro traz gravíssimas consequências, em caso de guerra. Em especial, a tragédia da perda de vidas humanas de cidadãos brasileiros, latino-americanos e americanos".

    Miséria na Venezuela

    A crise na Venezuela, provocada pela ditadura de Nicolás Maduro, causou violência, fome e muita miséria. Sem empregos, o povo passou a procurar comida nos lixões do país.

    Nos últimos dias Nicolás Maduro determinou o fechamento as fronteiras da Venezuela, inclusive, com o Brasil e proíbe a entrada de ajuda humanitária. Isso tem gerado conflitos e, segundo as agências de notícias, nesta sexta-feira, 22, uma índia acabou morrendo e outras pessoas ficaram feridas por balas disparadas por soldados leais a Maduro.

    Só que a realidade mostra, exatamente o contrário do que esses partidos e movimentos de esquerda afirmam. A posição do governo Bolsonaro é de solidariedade ao povo venezuelano. Como outros países, o Brasil está enviando donativos até a fronteira com o governo afirmando, que não defende nenhuma medida de intervenção.

    É incrível e lamentável verificara como a luta do pelo poder gera tanta insanidade e desumanidade, apenas porque eles querem derrubar o Governo Bolsonaro

    Ditaduras e miséria
    O apoio da esquerda brasileira, tendo como lídres os ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Roussef, não tem se mostrado eficaz para o povo. É um apoio que gera benefício apenas para governo ditatoriais. Exemplo disso é o que ocorre em países como Venezuela, Honduras e Nicarágua.
    Enquanto a esquerda vem perdendo apoio da população na América Latina, como Chile, Paraguai, Argentina e Brasil, nesses países citados sob o comando de ditadores, o que o mundo tem visto são conflitos internos, desemprego, violência e o povo tentando se refugiar em outros países. (Renato Ferreira)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.