Segunda, 20 Agosto 2018 | Login
AZEREDO X LULA Questão de inteligência e respeito ao Estado de Direito

AZEREDO X LULA Questão de inteligência e respeito ao Estado de Direito Featured

 

Ontem, Eduardo Azeredo, ex-senador e ex-governador de Minas, condenado no mensalão tucano, foi preso para cumprir pena de 20 anos de prisão.

Ao contrário de outro preso - Lula, condenado em um dos vários processos a que responde - não vimos em Minas ninguém criticando a Justiça e, muito menos, acampamento para defender um criminoso. Houve, simplesmente o silêncio de gente civilizada que respeita decisões judiciais.

Em tempo: O mensalão tucano, de 1998, foi o precursor do mensalão petista, que veio à tona em 2005, durante o primeiro mandato de Lula.

000

About Author

Related items

  • Além da "Val" do Bolsonaro, cadê a "Rose" do Lula?

     

    Hoje. no Brasil, parece que o assunto em pauta é a tal senhora "Val", que seria uma "funcionária fantasma" do Bolsonaro, candidato à Presidência da República pelo PSL. A impressão é que os esquerdistas querem derrubar o capitão candidato por causa de sua funcionária fantasma.

    No que eles estão certos, não mesmo? Até porque nenhum outro político brasileiro tem fantasma "trabalhando" em Prefeituras, Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas ou no Congresso Nacional. #sqnPor isso, o Bolsonaro, mesmo afirmando que já demitiu a sua "fantasma", não pode mesmo querer ser Presidente da República. Afinal, ele tinha uma "funcionária fantasma".

    Mas, por outro lado, isso denota uma tremenda hipocrisia e indignação seletiva de gente que defende e trabalha para corruptos. Pois, até agora nesta campanha, ninguém perguntou sobre a Rose Noronha, conhecida como "Rose", ex-chefe do gabinete da Presidência da República no governo Lula (PT)

    Indiciada por crimes de formação de quadrilha e corrupção ainda no ano de 2012, após ameaçar denunciar integrantes da cúpula do PT, como Gleisi Hoffmann, Gilberto Carvalho e Erenice Guerra,, Rosemary Cunha conseguiu "convencer", o ex-presidente Lula, que se encontra preso, a não deixá-la entregue aos leões.

    Rose, inclusive, nunca foi presa e deve contar em sua defesa com grandes e caros advogados, especialistas em defender políticos corruptos, como o próprio Lula. (Renato Ferreira)

  • ELEIÇÕES 2018: PT, Rede, PSDB e Podemos oficializam seus candidatos à Presidência da República

     

    Neste sábado, 04/07, na reta final das convenções partidárias, mais quatro legendas oficializaram suas candidaturas à Presidência da República. Em Brasília, os tucanos confirmaram a candidatura de Geraldo Alckmin. Em Curitiba, o Podemos oficializou o nome de Álvaro Dilas. Também em Brasília, a Rede oficializou a candidatura de Marina Silva. E em São Paulo, mesmo preso e condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula teve o seu nome oficializado pelo PT. 

    PSDB confirma Geraldo Alckmin

    PSDB confirma Alckmin 2 capa

    Em sua convenção nacional realizada neste sábado, em Brasília, o PSDB confirmou a escolha de Geraldo Alckmin, 65 anos, como candidato na disputa à Presidência da República. A senadora Ana Amélia (PP-RS) foi confirmada como vice na chapa de Alckmin.

    Atual presidente nacional do partido, o ex-governador de São Paulo foi escolhido por 288 presentes à convenção tucana. Um filiado não votou a favor de Alckmin e houve uma abstenção. 

    A expectativa entre os tucanos é que Ana Amélia como vice, possa melhorar o desempenho de Geraldo Alckmin na região Sul e no setor do agronegócio, onde ela tem bom trânsito. A escolha de uma mulher para vice representa também um aceno ao eleitorado feminino.

    Em discurso na convenção, Ana Amélia Lemos afirmou que será "absolutamente leal" a Alckmin. A senadora declarou que a" régua moral de Geraldo Alckmin é a mesma régua moral" que ela usa no Senado. Para ela, o brasileiro quer um "governo austero".

    Antes de acertar a chapa com Ana Amélia de vice, Alckmin fechou aliança com partidos do chamado "Centrão" (DEM, PP, PR, PRB e SD), além de outras três legendas: PTB, PSD e PPS. Conforme explicou o primeiro-vice-presidente do PSDB e coordenador da campanha, Marconi Perillo, os apoios garantirão 45% do tempo de televisão ao candidato tucano.

    Podemos oficializa Álvaro Dias

    Podemos confirma Álvaro Dias

    Também neste sábado, o Podemos confirmou, em Curitiba, o nome de Álvaro Dias, 73 anos, como candidato à Presidência da República. Ele está no quarto mandato de senador e é o atual líder do partido.

    O vice da chapa de Álvaro Dias é o economista Paulo Rabello de Castro, do Partido Social Cristão (PSC), que desistiu de candidatura própria para fechar com o Podemos. Além do PSC, o Podemos fechou coligação com o PRP e o PTC.

     Em seu primeiro discurso como candidato, Álvaro Dias fez críticas ao atual sistema político e voltou a repetir a tese de "refundar a República", que defendeu nas entrevistas da pré-campanha eleitoral.

    O candidato do Podemos disse, ainda, que vai combater a corrupção e apoiar a continuidade da Operação Lava Jato, que, de acordo com ele, prendeu "os barões que assaltaram a República". "A limpeza não terminou, a limpeza tem que continuar", afirmou.

    O senador também revelou que pretende convidar o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, para assumir o Ministério da Justiça, caso seja eleito Presidente da República.

    Para Alvaro Dias, Sérgio Moro é o "ícone da nova Justiça brasileira". Ele disse que ainda não conversou com juiz sobre o convite.O 

    O senador também afirmou que deseja dar mais espaço às mulheres e que elas  sejam protagonistas no seu governo. "Nós do Podemos somos comandados por uma mulher (deputada Federal Renata Abreu) e, certamente, elas comandarão setores do nosso governo porque são essenciais na refundação da República". disse..

     O atual mandato de Álvaro Dias como senador termina em 2022.

    Rede confirma Marina como candidata
    Rede confirma Marina

    Em Brasília, a Rede Sustentabilidade oficializou por aclamação a candidatura de Marina Silva à Presidência da República. O vice na chapa da Rede é o médico sanitarista, Eduardo Jorge (PV), que em 2014 foi candidato à Presidência da República.

    A Rede tem dois deputados federais e um senador, representações e diretórios em todas as unidades da Federação.

    Marina Silva nasceu em 8 de fevereiro de 1958, no Acre, em uma pequena comunidade chamada Breu Velho, município de Rio Branco.

    Em 1984, ela ajudou a fundar a CUT (Central Única dos Trabalhadores) no Acre. No ano seguinte, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT). Em 1988, foi eleita pela primeira vez a um cargo público nas eleições de 1988, quando foi a vereadora mais votada de Rio Branco.

    Nas eleições de 1990, foi eleita deputada estadual. Em 1994, nas eleições gerais, foi eleita senadora, aos 36 anos, tendo sido reeleita no pleito de 2002. Marina foi também ministra do Meio Ambiente no governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

    Em 2010, foi candidata pela primeira vez à Presidência da República, pelo Partido Verde (PV), quando obteve 19 milhões de votos. Voltou a ser candidata nas eleições de 2014, pelo PSB, obtendo 22 milhões de votos. 

    PT confirma Lula como candidato, apesar da prisão

    Pt confirma Lula

    Já em São Paulo, o Partido dos Trabalhadores confirmou a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República. O anúncio foi feito pela presidente da legenda, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), durante a convenção, no bairro da Liberdade. O candidato a vice ainda não foi definido. Durante a semana, o partido anunciou que o nome de Manuela D´Ávila (PCdoB-RS), seria anunciado hoje como vice, mas, esse anúncio foi vetado por Lula. 

    “Viemos aqui para votar no nosso candidato a presidente, Lula. Esse é um momento histórico. Lula é o nosso candidato a presidente da República”, disse Gleisi.

    O ator Sérgip Mamberti leu uma carta do Lula.. Nela, Lula diz que é a primeira vez em 38 anos que não participa de uma convenção nacional do partido. "Mas sei que estou presente em cada um de vocês".

    “Nós tratamos a nossa gente como solução e por isso o Brasil mudou”. Hoje a nossa democracia está ameaçada. Agora querem fazer uma eleição de cartas marcadas. Querem inventar uma democracia sem povo”, diz Lula na carta.

    Participaram do evento lideranças do PT, como a ex-presidente Dilma Rousseff, o candidato ao governo de São Paulo pelo partido, Luiz Marinho, o ex-ministro Celso Amorim, o ex-prefeito da capital paulista Fernando Haddad, o senador Lindberg Farias, entre outros.

    Movimentos sociais e entidades sindicais também marcaram presença, como o MST, o MTST, CUT, Central dos Movimentos Populares, UNE, entre outros.

    Em  determinado momento da convenção, todas as pessoas presentes colocaram uma máscara com o rosto do ex-presidente Lula e gritaram em coro: "Eu sou Lula".

    Condenado em segunda instância no caso do triplex em Guarujá, a doze anos e um mês de prisão,  Lula está preso desde o começo de abril, na Polícia Federal de Curitiba. E conforme a lei da ficha limpa, essa condenação torna o petista inelegível. Mas a questão será decidida pelo TSE após o registro oficial da candidatura. O presidente do TSE, ministro Luiz Fux já deixou que qualquer candidatura cujo nome seja enquadrado na Lei da Ficha Lima não será aceita. (Renato Ferreira com informações do Estado de Minas e Agências de Notícias)

  • Em Minas, servidores do estado protestam contra parcelamento de salário
    Representantes de diversas categorias participaram dos protestos em Belo Horizonte e fechando ruas e praças no Centro de Belo Horizonte. Eles colocaram fogo em caixão simbolizando o governador Fernando Pimentel (PT)
     
    Nesta segunda-feira, 23/07, servidores públicos de Minas Gerais, de diversas cidades e representando várias categorias, organizaram um protesto na região central de Belo Horizonte contra o governo do Estado que vem atrassando e parcelando o pagamento deles. Eles criticam o governador Fernando Pimentel, do PT, e pedem o fim do parcelamento dos salários, implantado pela administração estadual. O grupo fechou completamente o trânsito na Praça 7, no Centro da capital mineira.
     Protestos de servidores em MG 3
    Segundo o governo de Minas, o parcelamento de salário vai até o fim do governo Pimentel e os atrasos devem continuar.
     
    Durante o protesto, colocaram fogo em um caixão, simbolizando o governador Fernando Pimentel e gritam palavras de ordem contra a administração petista. além de pedir sua saída. O protesto é unificado e conta com funcionários civis e militares e, segundo os organizadores, reuniu cerca de 600 pessoas.
     Protestos de servidores em MG 2
    "Podemos chamar uma greve geral do Estado, caso a situação não se regularize. Estamos recebendo parcelado há três anos. Vários servidores estão com o nome negativado", afirma Marcelo Armstrong, delegado de polícia e diretor regional do Sindipol-MG.
    Além de outras palavras de ordem, os servidores gritam "Pimentel, ladrão" e pedem a saída do governador. O protesto que começou no Ipsemg, interditou o cruzamento mais famoso da cidade, com avenidas Afonso Pena e Amazonas. O Sind-UTE não participa do ato.
    Segundo os manifestantes mineiros, os descontos relativos à previdência pelo Ipsemg e o IPSM e saúde não estão sendo repassados pelo estado. "Estamos ficando sem atendimento médico e odontológico", afirma a servidora Antonieta de Cássia Faria, de 60 anos, 40 deles no Ipsemg.
    Ela reforça que o movimento não tem qualquer conotação política. Isso porque parlamentares da oposição ocuparam o microfone. O deputado estadual Sargento Rodrigues e o deputado federal subtenente Gonzaga discursaram no carro de som.
    Ainda segundo os manifestantes, houve a tentativa de boicotar o movimento, com a retenção do carro de som, que chegou na Praça mais de uma hora depois do início do movimento, por volta das 14h30.
    O parcelamento dos salários dos servidores de Minas começou em fevereiro de 2016. O governo do Estado alegou queda na arrecadação e dificuldades em caixa para justificar a medida, feita após a decretação de calamidade financeira.
    O fechamento do trânsito no cruzamento das Avenidas Amazonas e Afonso Pena, causou reflexo em toda a área central. De acordo com a BHTrans, o trânsito foi fechado por volta de 14h45, quando os manifestantes tomaram os dois sentidos.
    O trânsito na Avenida Afonso Pena ficou interditado em todas as pistas nos dois sentidos. A Avenida Amazonas estava liberada somente no sentido Praça da Estação - Praça Raul Soares. O fluxo ficou totalmente livre no cruzamento por volta das 16h30, segundo informou a BHTrans. (Matéria extraída do site UAI - Estado de Minas)
     
    Opinião - Renato Ferreira
     
    Em 2014, os mineiros elegeram pela primeira um governador do Partido dos Trabalhadores. Estavam cansados dos tucanos. Mas, parece que a situação piorou em Minas, principalmente, para os servidores públicos.
     
    Agora, em 2018, teremos novamente eleições gerais e até a Dilma Rousseff (PT), resolveu voltar a cenário político depois do impeachment, candidatando-se ao Senado por Minas Gerais. Mas, será que com tanta insastivação, os mineiros vão reeleger Fernando Pimentel e eleger Dilma Senadora do Estado?
     
    Vamos esperar a campanha ser oficializada e o resultado das urnas em outubro para ver se os mineiros vão aprovar a primeira administração petista no Estado.
     

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.