Quinta, 22 Agosto 2019 | Login
ADMINISTRAÇÃO: Doria anuncia privatização de novos presídios em SP

ADMINISTRAÇÃO: Doria anuncia privatização de novos presídios em SP Featured

Modelo de PPP será adotado em quatro novas penitenciárias que já estão sendo construídas. Um dos modelos é o presídio de Ribeirão das Neves, em Minas Gerais.
 
Nesta sexta-feira, 18/01, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que vai privatizar os novos presídios construídos no estado com o modelo de parcerias público-privadas (PPPs).
De acordo com o governador paulista, a administração de quatro das 12 novas penitenciárias que já estão em fase de obras, será concedida à iniciativa privada em editais que devem ser lançados ainda neste ano. Outros três complexos penitenciários que estão previstos também devem entrar no modelo. As unidades que serão privatizadas não foram informadas durante o anúncio.
Segundo João Doria, o modelo PPP a ser adotado tem como referências o presídio da cidade de Ribeirão das Neves, em Minas Gerais, e também o sistema norte-americano. Estão previstas viagens de secretários tanto para Minas quanto para os EUA para reuniões de avaliações de formatos.
"Nós basearemos a gestão em critérios de qualidade, melhorando as condições do apenado, oferecendo parque fabril interno capaz de ressocializar o apenado com trabalho", afirmou o secretário de Administração Penitenciária, coronel Nivaldo Restivo.
A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) disse em nota que ainda é estudado "o modelo ou modelos de PPP que serão adotados".
Informação corrigida
Durante o anúncio para a imprensa, Doria chegou a dizer que todos os 171 presídios do estado seriam privatizados gradativamente ao longo da gestão, mas a informação foi corrigida posteriormente pelo vice-governador e secretário de Governo, Rodrigo Garcia.
"Nós temos hoje 171 presídios em São Paulo funcionando com 230 mil presos. Esse sistema continua assim. As melhorias nesse sistema serão de obras complementares. Ele é estatal”, disse Garcia.
“Temos hoje 12 presídios em obras, dos quais oito já têm funcionários públicos concursados contratados. Não tem sentido racional desistimos disso. Os quatro que ainda não têm funcionários e qualquer outra decisão de novo presídio é que serão via PPP", acrescentou o secretário.
Cartão de crédito
O governador também anunciou que, a partir de agora, todos os pagamentos de impostos do estado poderão ser feitos por meio de cartão de crédito.
"O objetivo é facilitar a vida das pessoas, melhorar a funcionalidade, diminuir a burocracia e garantir o recebimento dos impostos. Vale para ICMS, IPVA e demais impostos", disse Doria. (G1)
000

About Author

Related items

  • TIRO CERTEIRO: Governador Witzel comemora desfecho com morte do sequestrador
    Hoje, os criminosos podem até continuar aterrorizando no Brasil, mas, o ´diálogo' com a Polícia mudou.
     
     
    O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel elogiou o trabalho “muito técnico” feito pela Polícia Militar no caso do sequestro do ônibus no início da manhã desta terça-feira, 20/08, na Ponte Rio-Niterói. A ocorrência terminou com o sequestrador abatido por atiradores de elite.
    “O ideal é que todos saíssem com vida, mas nós tivemos que tomar uma decisão de salvar os reféns. O que nós assistimos foi um trabalho muito técnico da Polícia Militar. Todo tempo eu fiquei monitorando para fazer o meu trabalho como governador e a Polícia Militar, usando os atiradores de elite, escolheu a melhor oportunidade para salvar os reféns. A técnica é da Polícia Militar. Nós nos mobilizamos rapidamente e tentamos evitar o transtorno para a sociedade”, disse ele no local.
    Witzel chegou de helicóptero à ponte Rio-Niterói às 9h45 e desceu da aeronave fazendo gestos de comemoração, vibrando os pulsos cerrados. Ele confirmou que o homem foi morto e identificado e que não é policial. A identidade dele não foi revelada e o corpo já foi removido para a perícia.
    O sequestro
    Pouco antes das 6h de hoje, um homem armado sequestrou um ônibus e fez 37 reféns, obrigando o motorista a parar o veículo na altura do vão central da ponte, no sentido Rio. Ele foi morto por atiradores de elite por volta de 9h. Segundo o governador, a Secretaria de Vitimização prestará assistência aos reféns e à família do sequestrador.
    “Conversei com familiares dele, um me pediu desculpa. Ele pediu desculpa a toda a sociedade, aos reféns. Disse que alguma coisa falhou na criação, a mãe está muito abalada. Nós vamos também cuidar da família dele, vamos entender esse problema para que não ocorram outras vezes”.
    Segundo Witzel, a Polícia Civil já está no local para iniciar o trabalho de perícia. Ele agradeceu às corporações envolvidas e disse que os atiradores que participaram da ação serão condecorados e promovidos por bravura e pelo “trabalho de excelência” realizado.
    “Muitas vezes algumas pessoas não entendem o trabalho da polícia que às vezes tem que ser dessa forma. Se não tivesse abatido esse criminoso, muitas vidas não seriam poupadas. Isso está acontecendo nas comunidades, eles estão de fuzil aterrorizando as comunidades. Se a polícia puder fazer o trabalho dela de abater quem estiver de fuzil, tantas outras vítimas serão poupadas”.
    O governador disse também que as primeiras informações indicam que o sequestrador sofria de algum transtorno mental. A PM informou que a arma usada por ele era um simulacro.
    O ônibus sequestrado é da Empresa Galo Branco, linha 2520, que faz o trajeto Jardim Alcântara, em São Gonçalo, até o Estácio, no Centro do Rio. O sequestrador disse ter gasolina e ameaçou incendiar o coletivo.
    O tráfego foi interrompido nos dois sentidos e liberado no sentido Niterói pouco depois das 10h. Antes de ser atingido, o sequestrador havia liberado seis reféns. As primeiras negociações com o sequestrado foram feitas pela Polícia Rodoviária Federal e depois conduzidas pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar.
    O governador, o secretário de Estado de Polícia Militar, Rogério Figueredo, e o comandante do Bope, tenente-coronel Maurílio Nunes, concederão entrevista coletiva sobre o assunto ainda na manhã de hoje, no Palácio Guanabara. (Informações da Agência Brasil)
  • OSASCO/ESTADO: Cursos gratuitos serão oferecidos na carreta Via Rápida em Osasco

    Trata-se de uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão.

     

    A partir do dia 28 de agosto, uma carreta do programa Via Rápida Emprego, do governo do estado, vai oferecer em Osasco, os cursos de corte/costura e almoxarife/estoquista.

    As aulas acontecerão nos períodos da manhã, tarde e noite, no estacionamento da Prefeitura. Inscrições limitadas. Para saber mais informações sobre as inscrições, acesse este link: https://bit.ly/2NisnKi

    As carretas do Via Rápida oferecem os cursos gratuitos do programa em um formato inovador, Além da mobilidade das unidades, a ação integra conhecimentos teóricos e práticos dos mais diversos cursos, num ambiente que simula as situações encontradas pelos participantes no dia-a-dia das atividades.

  • CAPITAL PAULISTA: Justiça libera obra da Prefeitura de SP no Vale do Anhangabaú
    Para presidente do TJ-SP, paralisação representa um risco à economia pública. Decisão de 1ª Instância havia suspendido serviço, após reivindicação de associação que alertava sobre riscos e perda de patrimônio histórico.
    Nesta sexta-feira, 09/08, a Justiça liberou a retomada da obra da Prefeitura de São Paulo no Vale do Anhangabaú, no Centro da capital. Para o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), a paralisação representa um risco à economia pública.
    Há uma semana, a Justiça atendeu ao pedido da Associação Preserva SP para embargar a obra de qualificação do espaço devido à falta de discussões com a sociedade sobre a intervenção em um local de importância histórica para o município, e também devido à falta de um estudo de viabilidade ambiental e arqueológico. Paralelamente, o Ministério Público abriu um inquérito para investigar os gastos com as obras.
    Obra no Vale Anhagabaú
    Segundo o projeto da mega-obra, o Vale do Anhangabaú ficará assim
    A prefeitura recorreu da decisão e respondeu aos questionamentos, afirmando que o projeto foi orçado em R$ 3,8 milhões e houve aprovação junto a todos os órgãos responsáveis pela preservação do patrimônio histórico do município, além de discussão com os conselhos públicos.
    Nesta sexta-feira, o desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças autorizou a retomada das obras, destacando o prejuízo financeiro que a paralisação causa a toda a sociedade. “Cada dia de paralisação da obra representa prejuízo estimado ao município de São Paulo de R$ 42.744,66, isso levando em conta apenas os custos contratuais referentes à remuneração de 108 funcionários e 38 equipamentos mobilizados”, disse.
    Na decisão, o juiz incluiu ainda a manifestação favorável ao projeto por parte do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade (Conpresp) e do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat), e acrescentou que o foi debatido com a sociedade civil, como, por exemplo, em apresentação pública ocorrida em 2015.
    “Não se trata de intervenção feita “de imediato” e à sorrelfa, o que ganha relevância especialmente ante a ausência de oposição administrativa ou judicial anterior, em momento em que o prejuízo à Municipalidade teria sido muito menor (ao contrário do que se dá agora, quando a obra já está iniciada e o local foi transformado em um imenso canteiro de obras)”, escreveu em sua decisão. (G1)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.