Segunda, 17 Junho 2019 | Login
MANIFESTAÇÕES PRÓ GOVERNO: Incentivo na web para atos de domingo é 6 vezes maior do que em 15 de maio

MANIFESTAÇÕES PRÓ GOVERNO: Incentivo na web para atos de domingo é 6 vezes maior do que em 15 de maio Featured

Até 6ª feira já havia 1,2 milhão de posts;
Nos atos de 15.mai, só houve 206 mil;
Estudo da Bites destaca a mobilização;
Interesse deve crescer neste sábado.
Dados do Sistema Analítico Bites mostram que os atos pró-Bolsonaro marcados para este domingo (26.mai.2019) têm incentivo na web 6 vezes maior do que os protestos contra cortes na educação, realizados em 15 de maio.
De acordo com o levantamento, até às 20h de 6ª feira, foram 1,2 milhão de posts para as manifestações de domingo, contra 206 mil para os atos da semana passada.
O número de posts, segundo o Bites, indica que “mesmo com algum arrefecimento da oposição ao Centrão, após a aprovação da MP 870, e as dúvidas sobre as pautas da manifestação, os atos do próximo domingo podem surpreender por sua consistência e capilaridade”.
O levantamento do Bites também destaca o fator convocação.
No Facebook, os 10 principais eventos catalogados pela empresa de consultoria somaram 11,8 mil confirmados e 23,6 mil interessados até a noite de 6ª feira.
Grupos do aplicativo de mensagens WhatsApp também foram monitorados pelo Bites. O levantamento mostra que há “uma intensa atividade” em torno da divulgação das manifestações.
No Google, por outro lado, as buscas pelos protestos ou por Bolsonaro não cresceram de forma considerável nos últimos dias. A procura por palavras-chave como 26 de maio”, “manifestações” ou “protestos” se manteve estável.
Apesar da estabilidade, o volume de buscas se encontra abaixo do volume dos protestos do dia 15. Ainda assim, o número é maior que às vésperas da manifestação dos estudantes.
O levantamento também afirma que as buscas pelo próprio presidente da República estão 40% abaixo do volume de buscas sobre ele no dia 16 –dia seguinte ao protesto contra o governo. No entanto, a empresa projeta que o interesse pelo evento de domingo deve crescer de forma mais consistente neste sábado (25.mai).
Os dados ainda sugerem que o evento terá forte participação popular, apesar do posicionamento contrário ao governo de figuras como o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) e o cantor e compositor Lobão.
AUDIÊNCIA DE CRÍTICOS E APOIADORES
Ainda segundo dados do Bites, houve grande variação de audiência nas redes sociais entre críticos e apoiadores do governo Bolsonaro. Veja abaixo:
  • Kim Kataguiri perdeu 100,7 mil seguidores desde o dia 18 de maio;
  • Lobão perdeu 42,9 mil desde o dia 10 de maio.
No mesmo período, três apoiadores dos atos pró-governo ganharam audiência nas redes:
  • Luciano Hang, da Havan, ganhou 44,4 mil seguidores;
  • Allan dos Santos do site bolsonarista Terça Livre, ganhou 8,9 mil;
  • Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro, 16,3 mil.
ORIENTAÇÃO AOS MINISTROS
O presidente Jair Bolsonaro orientou os seus 22 ministros a não participarem do movimento. Um dia após a orientação, através de uma rede social, Bolsonaro classificou os atoscomo “uma manifestação espontânea da população, que de forma inédita vem sendo a voz principal para as decisões políticas que o Brasil deve tomar”. (Portal Poder 360)
000

About Author

Related items

  • GOVERNO: Substituto de Levy no BNDES será indicado por Guedes e deverá ser da iniciativa privada
    Presidente do banco pediu demissão neste domingo, após ser criticado no sábado pelo presidente Bolsonaro, que pedia mais transparência do BNDES.
     
    O substituto de Joaquim Levy no comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) será indicado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e deve ser da iniciativa privada,segundo informaram integrantes da equipe econômica.
    Levy pediu demissão do cargo neste domingo, 16/06, um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter dito que ele estava com a "cabeça a prêmio".
    Bolsonaro disse na tarde deste sábado (15) que, se Levy não demitisse o diretor de Mercado de Capitais do BNDES, Marcos Barbosa Pinto, ele, Bolsonaro, demitiria Levy. Poucas horas depois, Marcos Pinto renunciouao cargo.
    Segundo apurou a TV Globo, o próximo presidente do BNDES terá de focar os trabalhos nas seguintes áreas:
    • programas de saneamento;
    • infraestrutura;
    • privatizações;
    • reestruturação de estados e municípios.
    Ainda de acordo com integrantes do governo, o substituto de Joaquim Levy também deverá ter como objetivos devolver à União parte dos recursos emprestados ao BNDES, além de buscar investimentos no exterior.
    Embora a nomeação de Marcos Pinto tenha sido a "gota d´água' para Bolsonaro, integrantes da equipe econômica afirmam que o presidente estava insatisfeito com Joaquim Levy havia três meses.
    Isso porque, na avaliação desses integrantes, Levy não havia cumprido a promessa de campanha de Bolsonaro de "abrir a caixa-preta" do BNDES em relação a empréstimos para Venezuela e Cuba nem havia buscado investimento no exterior.
    Marcos Pinto, cuja demissão foi cobrada por Bolsonaro, foi chefe de gabinete de Demian Fiocca na presidência do BNDES (2006-2007). Fiocca era considerado, no governo federal, um homem de confiança de Guido Mantega, ministro da Fazenda nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.
    "Ninguém fala em 'abrir a caixa-preta' e ainda nomeia um petista. Então, fica clara a compreensão da irritação do presidente", disse Guedes ao Blog do Camarotti.
    Segundo o colunista João Borges, Guedes e Bolsonaro conversaram neste sábado logo após o presidente ter dito que Levy estava com a "cabeça prêmio". A declaração fez os integrantes da equipe econômica considerarem "insustentável" a situação do agora ex-presidente do BNDES. (G1)
  • 'Greve geral' vira fiasco em todo Brasil

    Números de manifestantes mostram que, definitivamente, a esquerda agoniza no país.

     

    Durante toda a semana, parlamentares da chamada esquerda brasileira, formada pelo PT, PSOL, PCdoB e Rede, usaram a tribuna do Congresso Nacional conclamando o povo para greve geral desta sexta-feira, 14.

    A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e deputados estaduais, como o ex-prefeito de Osasco, Emídio de Souza, também usaram as redes sociais chamando para a greve geral.

    Isto, sem falar na gritaria dos sindicatos, CUT e cabos eleitorais afirmando que o Brasil iria parar nesta sexta em protestos contra os cortes (contingenciamento) na educação e a reforma da Previdência.

    Mas, as manifestações foram um fiasco desde a parte da manhã. Os organizadores tiveram que usar das velhas táticas de bloquear avenidas e rodovias com pneus queimados, além dos 'Black bloc' mascarados enfrentando a polícia.

    Greve na Praça da Cadenlária

    Por volta das 18h15, manifestantes fizeram ato na Praça da Cadenlário, Centro do Rio, em número reduzido se comparado às manifestações anteriores

    Só depois das 18h que aumentou um pouco o número de manifestantes em locais, como a Av. Paulista, em São Paulo, e na Praça da Candelária, no Rio de Janeiro, mas, que nem longe lembram as grandes multidões que já pararam o país em outras manifestações.

    Repórteres e apresentadores da Globo tentam turbinar as manifestações tirando leite de pedra. Assim, manifestações acabam por reforçar as reformas do Governo Bolsonaro. (Renato Ferreira)

  • Greve geral não; isso é manifestação contra o Brasil!

     

    Em outros países, onde os trabalhadores e sindicatos são organizados, quando se convoca greve geral, todos os setores param voluntariamente. Ninguém sai de casa. O país para literalmente, como acontece na Argentina, por exemplo.

    Já aqui no Brasil, com sindicatos, líderes e movimentos são pelegos, é diferente.

    Convoca-se greve geral, mas, tudo continua funcionando, mesmo com algumas adesões, como metrô, ônibus e táxi. E quem sofre é o povo trabalhador.

    Greve Geral pede Lula livre

    Aí, como não tem greve nenhuma, os cabos eleitorais de políticos irresponsáveis, começam a baderna colocando fogo em pneus para bloquear avenidas e rodovias para depois falar que pararam o país.

    Isso é o que estamos vendo nesta sexta-feira, 14/06, no Brasil. Meras manifestações políticas. (Renato Ferreira)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.