Print this page
Alexandre de Moraes é aprovado pelo Senado e vira ministro do STF

Alexandre de Moraes é aprovado pelo Senado e vira ministro do STF Featured

 

Depois da longa sabatina de ontem na Comissão de Constituição e Justiça, nesta quarta-feira (21/02),  o ex-ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, indicado do presidente Michel Temer (PMDB) ao Supremo Tribunal Federal (STF), teve o seu nome aprovado pelo plenário do Senado e, assim, vira ministro da Suprema Corte de Justiça do país. Ele vai ocupar a vaga deixada por Teori Zavascki, que morreu em acidente de avião no mês de janeiro.

Em votação secreta, os senadores aprovaram o nome de Alexandre de Moraes  por 55 votos a 13. Não houve abstenção e o quorum foi de 68 presentes. Agora, à presidente do STF, ministra Carmen Lúcia, marcar a posse do novo titular da Corte.

Ao chegar ao Senado, na manhã de hoje, o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE) avisou que a sessão seria rápida e que não haveria espaço para discussão nem encaminhamentos. A sessão começou com menos da metade dos 81 senadores presentes. “Votação secreta não cabe discussão. Nem encaminhamento aberto de líderes", afirmou Eunício. Para ter seu nome aprovado, o ex-ministro da Justiça precisava do voto de pelo menos, 41 dos 81 senadores. 

 

Prós e contra

Enquanto a oposição critica a indicação de Alexandre de Moares, principalmente, por ele ter sido ministro de Temer e também ter sido filiado ao PSDB, os governistas defendem o novo ministro e lembram que os governos petistas, como Lula e Dilma, também indicaram ex-membros de seus governos para a Suprema Corte.

Dentre os indicados pelos govenos petistas, destacam-se os ministros Ricardo Lewandowski que, segundo consta, foi advogado do Partido dos Trabalhadores e da CUT em São Paulo, e Dias Tofoli que, além de sua ligação com o PT, era Advogado-Geral da União quando foi indicado para o Supremo Tribunal Federal. (Renato Ferreira - Fonte: Estado de Minas)

000

About Author