Quinta, 26 Abril 2018 | Login
 
Na tarde desta quinta-feira, 22/03, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) esteve na cidade de Osasco, onde entregou as obras de reforma e ampliação do Hospital Regional Dr. Vivaldo Simões, no bairro de Presidente Altino. Na ocasião, Alckmin anunciou também o início das obras de ampliação do Terminal Metropolitano da Vila Yara. Acompanhado dos secretários de Estado, David Uip (Saúde), e Clodoaldo Pelissioni (Transportes Metropolitanos), Alckmin foi recebido pelo prefeito de Osasco, Rogério Lins. Participaram também do evento, a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidarieda, Aline Lins, a vice-prefeita Ana Maria Rossi, secretários municipais, deputados estaduais e vereadores.
O Hospital Regional, um dos maiores e mais completos da região Oeste, é referência de atendimento em alta complexidade nas áreas de neurologia, neurocirurgia e traumatologia da região metropolitana Com a reforma e ampliação, ele passa a ter 215 leitos, 99 a mais do que possuia antes, e uma UTI com 40 leitos. O Hospital ocupa uma área construída 21 mil m² e foram investidos R$ 38,4 milhões nas obras e R$ 16,6 milhões na aquisição de equipamentos. O governador anunciou também a convocação de mais 340 profissionais para trabalhar na unidade hospitais, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e farmacêuticos.
Além de novos leitos em várias áreas, o hospital recebeu também melhorias no serviço de diagnóstico para oferta de exames, como ressonância magnética, tomografia, raio-x, colonoscopia e endoscopia, além de um Hemocentro, laboratórios, farmácia, almoxarifado e SAME (Serviço de Arquivos Médicos e Estatísticas). O Regional passa a contar também com um Hospital-dia, com oito leitos de apoio para realização de cirurgias de menor complexidade.
 
Terminal da Vila Yara
Já a reforma e ampliação do Terminal Amador Aguiar, na Vila Yara, incluem melhoramentos, acessibilidade, ampliação e extensão das cinco plataformas de ônibus. Será reformado também o centro comercial localizado no primeiro pavimento, com novos equipamentos e instalações e acessos para melhorar a locomação de todos os usuários.
 
No andar térreo, serão instaladas as plataformas de embarque para passageiros, bilheterias, sanitários e edificações, além guaritas de controle de acesso de veículos, gerador de energia e uma área restria para armazenamento de lixo. O novo terminal vai atender 39 linhas de ônibus.
Conforme destacou o governador Geraldo Alckmin, serão investidos R$ 28,4 milhões nas obras do Terminal. A conclusão das obras está previstas para o mês de maio de 2019. O acesso ao pavimento superior se dará internamente por meio de escada fixa e um novo elevador somado ao já existente no local. Serão investidos R$28,4 milhões na obra, que deverá ser entregue em maio de 2019.
Atualmente, o terminal atende 17 linhas metropolitanas que ligam as cidades Osasco, Carapicuíba, Pirapora de Bom Jesus, Santana de Parnaíba, Cotia, Barueri e Itapevi.
 
Na parte da manhã, Geraldo Alckmin esteve na cidade de Itapevi, onde inaugurou obras viária do Corredor Oeste na divisa com a cidade de Jandira.
 
Notícias & Opinião esteve no Hospital Regional de Osasco e gravou parte das falas do prefeito Rogério Lins e do governador Alckmin. Veja aqui: https://www.facebook.com/orenatoferreira/posts/1663810563709177?pnref=story
Published in Cidade
 
 
Visando fortalecer a sua candidatura ao Planalto, principalmente, em seu maior reduto eleitoral, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) já admite que seu partido não tenha candidato ao governo do estado para apoiar a candidatura de seu vice, Márcio França (PSB). Com isso, o PSDB abriria mão do comando de São Paulo depois de 24 anos no Palácio Bandeirantes. Para implementar essa troca de apoio na campanha e também com receio de atritos entre aliados pelo governo paulista, correligionários do governador ensaiam um palanque único no Estado. Nesse caso, os tucanos abririam mão da cabeça de chapa e indicariam o vice na chapa de Márcio França.
 
Para os tucanos, o mais importante nesse momento é fortalecer o projeto nacional em torno de Alckmin e, ao mesmo tempo, afastar qualquer problema com aliados em São Paulo. Na opinião deles, a prioridade é a eleição de Alckmin para a Presidência da República e a volta do partido ao poder depois de 16 anos. Na opinião dos tucanos, isso valeria o sacrifício de perder o governo de São Paulo, o principal estado da Federação.
Márcio França, que não esconde de ninguém a sua candidatura, vai assumir o governo em abril, quando Alckmin renunciará para concorrer à Presidência,. França já lançou sua pré-candidatura e tem anunciado apoio de outras legendas. O assunto ainda não é consenço no PSDB, que tem outros quatro postulantes à sucessão de Alckmin. Um deles é o de João Doria, prefeito da Capital.
No entanto, após José Serra anunciar que não vai disputar a eleição para o governo paulista, a possibilidade de apoio a Márcio França passou a ser admitida publicamente pelo próprio governador e presidente nacional do PSDB. Na opinião de Alckmin, “não é obrigatório” o candidato ao governo ser do seu partido. “Se o Márcio França assumir o governo é natural que ele queira ser candidato, o que é legítimo. E, se pudermos ter um candidato só, melhor", afirmou Alckmin.
França sempre foi apresentado como aliado leal ao governador Alckmin. Com esse perfil, o vice-governador ganha a preferência por já ter uma candidatura consolidada e que terá a máquina estadual na mão durante a campanha. Além disso, os tucanos defendem o apoio a França, alegando que ele só poderá ficar quatro anos no cargo, abrindo, assim, a possibilidade do PSDB ao comando do Estado em 2022. Na sexta-feira, 26, Alckmin e França cumpriram compromisso de agenda conjunta em São Vicente cidade onde o vice iniciou sua carreira política.
Alianças
Se o apoio a Marcio França se consolidar, Alckmin abre mão do Estado mais rico da federação para o PSB, porém, por outro ladi, consegue também atrair para a sua coligação um partido com forte atuação no Nordeste, onde o governador paulista se mostra mais frágil eleitoralmente, e outras legendas que já fecharam apoio a França no Estado, como o PR.
O objetivo do grupo de Alckmin é consolidar o nome do governador como o único candidato de centro na disputa presidencial em 2018. E, assim, amarrando o PSB em São Paulo, Alckmin enfraqueceria uma possível candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Apoiando França e o PSB em São paulo, o governador ficaria livre para oferecer a vice na chapa ao Palácio do Planalto ao DEM.
 
Mas há resistências no PSDB. Brunco Covas, vice-preveito de São Paulo, afirma: “Sempre vou defender que o PSDB tenha candidatura própria. Há dez anos, por exemplo, fui contra apoiar a eleição do prefeito (Gilberto) Kassab para que o governador fosse candidato pelo PSDB. O Fernando Henrique foi reeleito presidente com palanques de Mário Covas e Paulo Maluf. Tenho certeza de que o Marcio França vai apoiar a eleição de Alckmin independentemente de qualquer contrapartida. Descarto o partido ter um vice”, disse Bruno Covas. (Fonte: Veja)

Published in Política
Hoje, o governador Geraldo Alckmin anunciou a antecipação da vacinação fracionada contra a febre amarela em 54 municípios paulistas do dia 3 de fevereiro para o dia 29 de janeiro
 
 
A Organização Mundial da Saúde (OMS) passou, nesta terça-feira, 16/01, a considerar todo o estado de São Paulo como área de risco de febre amarela.
Segundo o secretariado da entidade, a decisão foi tomada "considerando o aumento da atividade do vírus" observado na região.
"Consequentemente, a vacinação contra a febre amarela é recomendada para viajantes estrangeiros que visitem qualquer área no estado de São Paulo", diz a OMS, em comunicado.
 
 FEBRE AMARELA: VEJA PERGUNTAS E RESPOSTAS
 
O que mudou
Antes: Até então, a OMS recomendava que viajantes tomassem a vacina contra a febre amarela para áreas de risco do estado de São Paulo, que não incluia a capital paulista e boa parte do interior, além de outros estados do Brasil.
Agora: A recomendação da OMS passa a valer para todo o estado de São Paulo, incluindo a capital paulista.
Nesta terça-feira (16), o governo de São Paulo anunciou que a vacinação fracionada contra a febre amarela em 54 municípios do estado será antecipada para o dia 29 de janeiro. Anteriormente, o governo havia anunciado que a aplicação das doses seria realizada a partir do dia 3 de fevereiro.
A entidade aconselha também quem vai viajar para o estado a adotar medidas para evitar picadas de mosquitos, fique atento para os sintomas da doença e procure atendimento durante ou após a visita, em caso de suspeita da doença.
"A determinação de novas áreas consideradas de risco de transmissão de febre amarela é um processo contínuo, e atualizações serão fornecidas regularmente", diz a OMS.
Por enquanto, o Ministério da Saúde incluía apenas o oeste do Estado de São Paulo como área de risco.
Ministério não vai mudar estratégia em São Paulo
Uma diferença entre a recomendação da OMS, que abrangeu todo o Estado, e as áreas de risco do Ministério da Saúde, que se limitam a municípios de maior risco em São Paulo e não abrangem todo o território.
Essa diferença na recomendação é explicada, em nota do Ministério enviada ao G1, porque a Organização Mundial da Saúde não tem como prever especificamente o destino de viajantes nesses territórios e, por isso, a recomendação foi para todo o estado.
O Ministério da Saúde informa, no entanto, que "a determinação das áreas de vacinação foi feita de acordo o acompanhamento da circulação do vírus, baseada no mapeamento epidemiológico das regiões" e que a recomendação para São Paulo não será modificada.
O coordenador de vacinas do Estado de São Paulo, contudo, espera que até o final do ano todo o Estado de São Paulo seja vacinado -- a depender da quantidade de vacina produzida, que atualmente é de 6 milhões de doses por mês.
"Esperamos que, até o final do ano, todo o estado seja vacinado", diz Marcos Boulos, coordenador de vacinas do estado de São Paulo.
"No longo prazo, também acredito que o Ministério vai pensar em uma estratégia para o Brasil", diz.
Até esta terça-feira (16), a recomendação do governo do estado e da Prefeitura de São Paulo era que somente as pessoas que residem nas áreas de risco, regiões perto de matas em que foram encontrados macacos mortos com o vírus da febre amarela, tomassem a vacinação convencional. As demais pessoas, que vivem fora da área de risco, devem esperar o início da vacinação fracionada.
A Secretaria Estadual da Saúde confirma 21 mortes por febre amarela silvestre no estado desde janeiro de 2017, segundo dados divulgados no último dia 12.
Também foram confirmados 40 casos autóctones (quando a doença é contraída na própria cidade e não vem de pessoas que viajaram para regiões afetadas) de febre amarela silvestre no estado desde janeiro de 2017. Não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942.
De acordo com o governo estadual, os locais de infecção que resultaram em morte ocorreram nos municípios de Américo Brasiliense, Amparo, Atibaia, Batatais, Itatiba, Jarinu, Mairiporã, Monte Alegre do Sul, Nazaré Paulista, Santa Lucia e São João da Boa Vista.
A cidade de Mairiporã, que faz divisa com a capital paulista, é uma das que registrou o maior número de contaminações por febre amarela - foram 42 registros e 3 pessoas mortas - sendo que dois dos mortos são residentes na cidade e uma delas estava em trânsito. A Secretaria de Saúde da cidade afirma que mais de 90% da população já foi vacinada.
Desde a confirmação de novas mortes por febre amarela, os postos de saúde do estado, incluindo os da capital, têm ficado lotados e com fila de horas de esperar para a imunização contra a doença com a dose convencional. Apesar da corrida aos postos, a Secretaria Estadual da Saúde diz que não há motivo para pânico.
Vacinação antecipada
 
Também nesta terça (16), o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que a vacinação fracionada contra a febre amarela em 54 municípios do estado será antecipada para o dia 29 de janeiro. Anteriormente, o governo havia anunciado que a aplicação das doses seria realizada a partir do dia 3 de fevereiro.
A alteração ocorreu após o governo estadual pedir a antecipação ao Ministério da Saúde. A campanha de vacinação também será encerrada com uma semana de antecedência, no dia 17 de fevereiro.
A meta é imunizar 6,5 milhões de pessoas - 2,5 milhões só na capital paulista. A dose fracionada tem tem 0,1 ml, enquanto que uma dose convencional tem 0,5 ml. A vacina permite a imunização por oito anos. Veja a relação das cidades que receberão a vacinação fracionada.
As seringas que serão usadas na campanha de vacinação contra a febre amarela com doses fracionadas já chegaram a São Paulo. Elas são menores e conseguem aplicar doses de 0,1 ml. (Fonte: Conteúdo G1)
 
Transmissão e sintomas da febre amarela
febre amarela sintomas
Published in Geral

 

Na tarde de sábado, 16/12, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o prefeito de Osasco, Rogério Lins (Podemos), inauguraram a Creche Pedro Alves de Oliveira, no Jardim São Pedro, zona Sul da cidade.

Creche São Pedro

Trata-se de uma creche moderna construída pela Prefeitura em parceria com o Governo do Estado, por meio do Programa Creche Escola, lançado há 5 anos pelo governador Alckmin.

Creche São Pedro 2

Com 813,78 m² construídos em 4.647,07 m² de terreno, a nova unidade conta com Sala de Direção, Sala de Educadores, Secretaria, Sanitário Administrativo Feminino, Sanitário Administrativo Masculino, Berçário, 6 Salas de Atividades, Sala Multiuso, Fraldário, Cozinha, Despensa, Lactário, Sanitário/Vestiário Infantil Feminino, Sanitário/Vestiário Infantil Masculino, Sanitário/Vestiário Familiar Acessível, Copa para Funcionários, Lavanderia, Depósito de Material de Limpeza, Sanitário/Vestiário Funcionários Feminino, Sanitário/Vestiário Funcionários Masculino.

A inauguração contou com a presença de um grande públicos e dezenas de autoridades, dentre elas a vice-prefeita de Osasco, Ana Maria Rossi; a primeira-dama Aline Lins; a secretária de Educação, Ana Paula Rossi, o vereador e presidente da Câmara Municipal, Dr. Lindoso; os deputados Federais Roberto de Lucena e Renata Abreu (Presidente Nacional do Podemos), o deputado Estadual, Jorge Wilson; o ex-prefeito de Osasco, Francisco Rossi, secretários municipais e vereadores.

Alckmin e Lins exclusivo

Notícias & Opinião cobriu o evento e conversou, com exclusividade, com o prefeito Lins e o Governador Alckmin, que elogiou a obra da Prefeitura e disse que educação de base será prioridade em seu programa de governo. (Fotos: Serginho Gobatti)

Confira neste vídeo: https://www.facebook.com/orenatoferreira/posts/1554310441325857?pnref=story

Published in Cidade
Sexta, 15 Dezembro 2017 20:24

Alckmin estará em Osasco neste sábado

 

 

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) estará na cidade da região Oeste da Grande São Paulo, para inaugurar uma creche no Jardim São Pedro, ao lado do prefeito Rogério Lins (Podemos).

A festa de inauguração acontece a partir das 15h30, e o descerramento da placa está previsto para às 18h, com a presença de Alckmin e Lins.

Com 813,78 m² construídos em 4.647,07 m² de terreno, a nova creche terá 150 vagas e fica na Rua José Timótheo da Silva, 389, Jardim São Pedro, zona Sul.

Published in Política

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.